Sede Cre Sul 2ª Região
Feed E-mail Facebook

AME Uberaba - AME Uberaba

AME – "Unir para unificar"

 

9/10/1960 - 9/10/2010 

50 anos 

HISTÓRICO da AME de Uberaba


A Aliança Municipal Espírita de Uberaba foi fundada no dia 20 de Agosto de 1960, (embora tenha sido deliberado, nesta reunião, que o dia 09 de Outubro deste ano, seria considerado o de sua fundação, quando foi empossada a sua diretoria - Livro de ata fls. 01 a 08 v) quando, em reunião no Centro Espírita "Uberabense", às 14:00 horas, estiveram representadas as seguintes Casas Espíritas: União da Mocidade Espírita de Uberaba, C. E. "Uberabense", C. E. "Henrique Krüger", C. E. "Aurélio Agostinho", C. E. "José Horta", C. E. "Vicente de Paulo", Casa do Cinza, C. E. "Caminho da Luz", C. E. "Bezerra de Menezes", tendo como presidente "ad-hoc" Dr. Jarbas Leone Varanda e secretário também "ad-loc" Antônio Fonseca de Abreu.

Esta auspiciosa realização foi festejada com palestras em todos os Centros ligados à AME a cargo dos confrades: Dr. Jarbas Leone Varanda, Marlene Rossi Severino, Antônio Corrêa de Paiva, Lígia Alonso Vilela, Júlia Fontes de Almeida, Antônio Fonseca de Abreu, Cléver Novaes, Emanoel Martins Chaves, bem como oradores de outras cidades. No dia 9 de outubro, houve um sessão solene, no C. E. "Uberabense", com palestra do Major Felipe Soares de Mello, representante da União Espírita Mineira.

 

(Aspecto da Coleta/Rua Henrique Dias – janeiro de 1966)
 

Narra o confrade Antônio Fonseca de Abreu, em Boletim Informativo do Departamento de Assistência Fraterna, que, em 1954, os jovens do Centro Espírita "Henrique Krüger" começaram a CAMPANHA DO QUILO em Uberaba, percorrendo ruas da cidade, para atender a necessidade dos irmãos carentes de ajuda. Logo em seguida, veio também a União da Mocidade Espírita de Uberaba com a mesma Campanha e tudo foi correndo às mil maravilhas. Cada Mocidade fazia sua parte, sem repetir, no mesmo mês, rua já feita pela outra Mocidade. Quando a Mocidade do Grupo Espírita "ª Agostinho" iniciou seu trabalho no mesmo processo de Campanha, houve necessidade de entendimento para não se sacrificar o público, com muito pedido repetidamente. Acontece, porém, que cada Mocidade já se encontrava compromissada no atendimento a certo número de famílias necessitadas. Houve necessidade de se estudar a questão e, para isto, fêz-se uma reunião de todos os companheiros das Mocidades em atividade. Qual a solução alcançada?

UNIFICARAM-SE as Mocidades, para o mesmo trabalho. As famílias assistidas da Mocidade A, o eram também de B e C e vice-versa.

Compreendeu-se, em primeiro lugar, que não somos donos da obra, porque ela pertence a JESUS. Assim, a fraternidade pulsou mais forte no coração do jovem uberabense. Com a UNIÃO, aumentou-se a FORÇA.

Quando, em 1960, o Espiritismo em Uberaba trabalhou pela UNIFICAÇÃO dos Centros e Entidades Espíritas, tudo foi fácil, devido ao trabalho antecipado dos jovens. Nessa ocasião, o CULTO DA ASSISTÊNCIA passou a ser dirigido pelo Departamento de Assistência Social da ALIANÇA MUNICIPAL ESPÍRITA DE UBERABA, com o nome de "AURIALDO JÚLIO DE ALMEIDA".

 

Dr. Jarbas Leone Varanda falando aos companheiros (janeiro de 1966)
 

O Culto da Assistência é medianeiro entre o doador e o necessitado. Quem nele trabalha é em primeiro lugar, o maior beneficiado, porque estuda diretamente os problemas materiais e espirituais de sua cidade e, conseqüentemente, acaba entendendo a si mesmo.

Eis o que nos fala Antônio Fonseca.



Também Dr. Jarbas L. Varanda, no mesmo Boletim, afirma: "... ressaltam companheiros nossos do trabalho mediúnico, que essa peregrinação, pelas veredas da caridade, em favor dos nossos irmãos mais necessitados, constitui uma oportunidade de não apenas levar a MENSAGEM espírita aos lares da Cidade, mas, e principalmente, a de ensejar o TRABALHO DOS ESPÍRITOS, nossos instrutores espirituais, em benefício da coletividade, das famílias visitadas e assistidas : o aprendizado para outros espíritos e o reequilíbrio para outros irmãos desencarnados e presos ainda à vida material; a doutrinação para espíritos sofredores que nos perseguem e à Doutrina Espírita, sem esquecer a assistência espiritual que os participantes encarnados desse trabalho recebem."

´"(...) É ainda uma bela sugestão de trabalho unificado em favor da mais perfeita união dos Espíritas."

No ano de 2.004, o Culto de Assistência Fraterna "Aurialdo Júlio de Almeida" completou 50 anos. Meio século auxiliando-nos a dar os primeiros passos no sentido da concretização da Caridade conforme

entendia JESUS: "benevolência para com todos, indulgência para as imperfeições dos outros, perdão das ofensas" (LE- Q. 836).

 

Coleteiros defronte ao C. E. "Legionárias do Bem"/maio de 1974
 

Dr. Jarbas, no Boletim citado acima, faz a exposição de seus aspectos positivos, ressaltando que"muitos podem não concordar com essa forma de assistência, por julgá-la ineficaz. De acordo, desde que se veja única e exclusivamente a solução do problema das famílias assistidas, na sua recuperação parcial ou total. Aqui, como em toda tarefa assistencial espírita, não se deve descurar, outrossim, dos aspectos espirituais positivos do problema.

Em verdade, a SOCIABILIDADE que enseja entre os seus participantes; o CONGRAÇAMENTO dos representantes de todas as entidades adesas à AME; a oportunidade de SERVIÇO a muitos companheiros; o APRENDIZADO disciplinado à luz dos princípios modernos de racionalização do trabalho (onde predominam a organização, a disciplina, a unidade de vistas, a cooperação, a coordenação e o aperfeiçoamento de métodos com base na troca de idéias, na permuta de experiências, sem prejuízo da iniciativa individual e do caráter de voluntariedade que devem presidir as atividades); e, sobretudo, o despertar, em todos os membros do Culto de Assistência, dos sentimentos de fraternidade, de humildade, de tolerância, de perdão, de indulgência e perseverança, quando nas suas relações recíprocas, nas relações com as famílias que dão o óbulo solicitado e nas relações com as famílias assistidas, onde o espetáculo das misérias é uma realidade, tudo isso revela aspectos positivos !...

 


ELEIÇÃO DA 1ª DIRETORIA EXECUTIVA DA AME UBERABENSE 

Dr. Jarbas Leone Varanda, mostrou as vantagens da votação por aclamação, visto não ser compatível com as práticas espíritas, outro tipo de votação. Ficou, assim, a la. Diretoria:

TRIÊNIO 1960 a 1963

Presidente: Dr. Jarbas Leone Varanda

Vice-Presidente: Jair Otoni Arantes

1º Secretário: Antônio Fonseca de Abreu/ substituído por Joubert Soares Pinto

2º Secretário: Roland Chaves Mendes

1º Tesoureiro: Antônio Amâncio Alvarenga/ substituído por Emmanoel Martins Chaves

2º. Tesoureiro: José Balduino Nunes

Bibliotecário: João Bento Ferreira



DEPARTAMENTOS:

Difusão Doutrinária: Dr. José Thomaz da Silva Sobrinho

Evangelização da Criança: Marlene Rossi Severino/Depois: Adair Fonseca Santana com os seguintes colaboradores: Cleide Santana, Myrtes Jorge e Francisco Kalil

Mocidades: Emmanoel Martins Chaves/ A seguir: Djelson Carneiro Leite/ Depois: Weimar Muniz e, finalmente: Rivail Araújo (com este último: 1ª Semana do Jovem Espírita, uma iniciativa verdadeiramente pioneira em terras brasileiras, no dizer do médium Waldo Vieira)

Assistência Social: Hélio Opípari e Wilter Wolf (foi aproveitada a existência do CULTO DE ASSISTÊNCIA "AURIALDO JÚLIO DE ALMEIDA" – que já possuía forma unificada. Este departamento contou com companheiros abnegados que desde o tempo de João Jorge Neto, Adroaldo Modesto Gil, Jair Otoni Arantes, Ronaldo Novais, Antônio Fonseca de Abreu, João Lima, Antônio Vilela, Geraldo Costa, Nestor de Carvalho, Leônidas, Luzio, as meninas do Lar Espírita entre outros lidadores)